quinta-feira, 30 de maio de 2013

Evangélicas pernambucanas se reúnem para o 12° Congresso de Mulheres da IEADPE

0 comentários. Clique aqui e deixe o seu também!

Maio não é só especial para as mães e para as noivas. É também no fim deste mês que, anualmente, a Assembleia de Deus de Pernambuco realiza o Congresso de Mulheres, o maior encontro feminino cristão do País, que está na sua 12ª edição este ano.

O evento (pelo menos até a inauguração da nova sede da igreja, lá pra 2018, com capacidade para quase 30 mil pessoas) será realizado no Templo Central, em Santo Amaro, Recife. Apesar dos cerca de sete mil assentos, é cada vez mais reduzido o espaço para comportar a quantidade sempre crescente de pessoas.

O Congresso começa hoje e vai até o próximo domingo. É um evento peculiar, um dos mais animados, fervorosos e concorridos, como tem sido os trabalhos voltados para as mulheres no Estado, sobretudo os círculos de oração, cuja liderança está aos encargos da irmã Judite Alves, esposa do pastor Ailton José Alves, presidente da IEADPE.

Durante a festa, vai ter lançamento de livros, álbuns, grande coral, caravanas de várias cidades, além de, claro, louvores, exposições bíblicas e manifestações do poder e da presença de Deus.

A IEADPE realizou oito vigílias e diversas campanhas de oração em prol do evento. Agora, deve colher os frutos espirituais que vão render durante todo o ano na vida das irmãs. A expectativa é de que os cultos tenham entre sete a dez mil crentes, em média. A abertura começa às 19h desta quinta-feira. 


A-BD

terça-feira, 21 de maio de 2013

Estes fofoqueiros...

1 comentários. Clique aqui e deixe o seu também!


Fofoca. Boato. Mexerico. Disse-me-disse. Prosa. Seja lá qual for o nome que se dê ao leva e traz de conversas. Desde os primórdios da civilização humana que a tal da fofoca está impregnada nos níveis mais baixos da sociedade.

Baseado nas explicações que encontrei de dois especialistas no assunto –  Nicolau Saldanha, professor do Departamento de Matemática do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, e Luiz Carlos Iasbeck, professor e pesquisador em comunicação e semiótica na Universidade Católica de Brasília (UCB-DF) – dissequemos, pois, o que é esta chaga social que afeta todo tipo de contingente em qualquer lugar do planeta.

Os boatos se espalham de forma exponencial. Se uma pessoa conta um boato para outras duas, e cada uma delas para mais duas – e assim sucessivamente –, em dez "rodadas" o boato terá se espalhado para 1.024 pessoas. Após vinte voltas, o rumor terá circulado por mais de um milhão de pessoas. Isso explica como uma fofoca ganha corpo e circula rapidamente num curto espaço de tempo.

É um modelo muito simplificado. Na realidade, se você espalha uma notícia assim, muitas vezes a mesma pessoa recebe o boato várias vezes. Com isso, ela talvez passe a acreditar que aquela notícia realmente é verdade ao saber de duas fontes diferentes.

Pelo "grau de importância" de um boato, a falsa notícia se espalha de forma muito mais rápida do que um desmentido. É mais rápido espalhar um boato de que se você fizer uma coisa muito rápido vai se dar muito bem, e se não fizer vai se dar mal. Por outro lado, se é só para dizer que não está acontecendo nada demais, que aquela notícia era falsa, não há um estímulo tão grande.

Toda fofoca tem a ver com o imaginário coletivo, e o mexerico espalhado no 'boca a boca' reforça a confiança que uma pessoa tem em quem lhe passou informação. O boato usa esta força da cumplicidade social, da credibilidade que uma pessoa tem com a outra. Espalham no nível da confidencialidade, dá sensação de credibilidade. É o movimento: se todo mundo vai eu também vou.

E o que a nossa Especialista maior diz? A Bíblia mostra inúmeros casos de combate à fofoca. O mais clássico deles está em Levítico 19.16: "Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo; não te porás contra o sangue do teu próximo. Eu sou o SENHOR".

Paulo foi firme até com aquelas irmãs que, sem nada pra fazer, vivem pra lá e pra cá, falando mal de A e B e se intrometendo na vida alheia (1 Tm 5.12). O apóstolo, conversando com os coríntios, disse: “Tenho receio de que, quando for visitá-los, não vá gostar daquilo que encontrar, e vocês não vão gostar do modo pelo qual eu terei de agir. Receio que os encontrarei em desavenças, invejando uns aos outros, irando-se uns contra os outros, aparentando grandeza, dizendo coisas vis uns dos outros, cochichando pelas costas uns dos outros, e cheios de presunção e discórdia” (II Co 12.20, Bíblia Viva).

Que mal traz ao seio de um povo cristão a tal da fofoca! Salomão, sábio como era, chegou a dizer que quem fica revolvendo assuntos alheios chega a desfazer grandes amizades (Pv 17.9). Ele também falou que os boatos são o prato favorito de muita gente (Pv 18.7). Não importa, pois, a era, o tempo, o lugar e a circunstância, sempre vai haver fofoqueiro. Não dar importância e “corda” a quem vive disso é um dos grandes passos pra não se envolver com esta praga.

Entre os muitos, diversos e variados conselhos bíblicos a respeito disso, além dos aqui postos, encerro o texto com mais um conselho de Salomão: “Você quer ficar sempre livre de problemas e sofrimentos? Fale o mínimo possível e tome sempre cuidado com suas palavras” (Pv 21.23). Traduzindo: fechemos mais a boca.

A-BD

segunda-feira, 13 de maio de 2013

A noite pode ser longa, mas não é eterna. Sempre há uma manhã no dia seguinte

0 comentários. Clique aqui e deixe o seu também!


Eu não tenho certeza de quanto tempo falta para que acabe a noite, mas estou certo que a manhã vem. Vivemos imersos em uma longa e escura noite. Todos procuram descobrir quanto falta para ela se acabar, mas a verdade é que poucos sabem quanto tempo ao certo resta para o sol raiar.

Em Isaías 21.11,12, alguém pergunta gritando ao guarda quanto falta para que a noite se acabe. E o guarda diz: "Vem a manhã".  Quão longa é essa noite para aqueles que não conseguem dormir! Da mesma forma, são poucas as pessoas que, olhando o futuro, podem garantir quanto tempo falta para que venha um novo dia.

Mas também é certo que a noite se torna suportável quando, esperando em Deus, no enchemos de esperança e nos posicionamos em um lugar de privilégio, no qual, como o guarda sobre a torre, vislumbramos o primeiro feixe de luz de uma aurora que, sem dúvida, vai aparecer. Lembre-se, então: a noite pode ser longa, mas não é eterna. Sempre há uma manhã no dia seguinte.

"A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pela manhã, mais do que aqueles que guardam pela manhã" (Salmos 130.6)


A-BD